Home / Blog & Notícias / Enfrentar marxismo cultural e gerar linguagem comum para defender a vida

Enfrentar marxismo cultural e gerar linguagem comum para defender a vida

ppbebebrasil190510SÃO PAULO, 04 Nov. 11 / 09:18 pm (ACI)

O segundo dia do II Congresso pela Verdade e pela Vida organizado pela Human Life International, que foi também o último dia da apresentação do Congresso para clérigos e religiosos foi marcado pelas palestras dos sacerdotes e líderes pró-vida brasileiros Pe. Luis Carlos Lodi e Paulo Ricardo de Azevedo, nas quais apresentaram desafios da defesa da vida como a influência do marxismo na teologia e a importância de que os pró-vidas tenham uma linguagem comum.

A manhã começou com a exposição sacerdote equatoriano Juan Carlos Chavez Aguilar falou da importância do tema “Pastoral da Vida”, inspirada na carta Encíclica Evangelium Vitae que segundo o sacerdote pró-vida é um apostolado necessário para a vida da Igreja em nossos dias. A Pastoral da Vida busca anunciar que toda vida humana é sagrada e portanto inviolável, e que o Evangelho da vida é o Senhor Jesus, que é a Vida mesma.

O presidente do Pró-Vida de Anápolis (GO), padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, abordou o tema “Linguagem: unidade conceitual na defesa da vida” no congresso que decorre no Mosteiro de São Bento, em São Paulo.

“Para a eficácia na luta em defesa da vida, não bastam as boas intenções. Todos devem ter conceitos claros das ideias que defendem e usar termos corretos para defendê-las. O emprego de uma única linguagem pró-vida é essencial para a nossa vitória”, reforçou o sacerdote líder do pró-vida e pró-família de Anápolis.

Já o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo falou sobre o tema do Marxismo cultural e destacou o problema da teologia da Libertação, que afetou negativamente a pastoral da Igreja no Brasil, esvaziando o evangelho do seu sentido salvífico agregando elementos do Marxismo incompatíveis com a fé Católica.

A organização do II Congresso Internacional pela Verdade e pela Vida, promovido pela Human Life International (HLI) no Mosteiro de São Bento, em São Paulo, reconheceu o trabalho destes dois sacerdotes pela defesa e promoção da vida humana, além dos padres Mateus Maria e Berardo Graz, conhecido como o “padre pela vida”. A entrega das homenagens aconteceu logo ao final dos trabalhos do evento.

Em seguida, foi a vez de a HLI entregar uma placa aos organizadores brasileiros do Congresso, em reconhecimento aos trabalhos efetuados pela causa da vida. A placa é assinada pelo presidente da HLI, padre Shenan Boquet, e pelo diretor da REDESSVIDA, padre Juan Carlos Chavez.

Agora o congresso será apresentado para um público de mais de 300 leigos que lotarão o auditório do São Bento no fim de semana para compartilhar as palestras e colóquios no Congresso promovido pela Human Life International, entidade pró-vida com base nos Estados Unidos que atua em outros países incluindo o Brasil.

O Congresso pode ser visto em tempo real via web no nosso website www.acidigital.com

Check Also

Autoridade vaticana: A teologia da libertação não faz falta para cuidar dos pobres

ROMA, 26 Ago. 13 / 01:30 pm (ACI/EWTN Noticias).- O secretário da Pontifícia Comissão para …