Home / Blog & Notícias / Sacerdote exorcista pede desculpas públicas por ofensas à castidade

Sacerdote exorcista pede desculpas públicas por ofensas à castidade

WASHINGTON DC, 07 Fev. 11 / 01:21 pm (ACI)

O sacerdote americano e conhecido líder pró-vida, Thomas Euteneuer, revelou em uma sentida declaração pública que em seu trabalho de exorcista transpassou “os limites da castidade” com uma mulher à qual prestava assistência, ele pediu desculpas públicas por esta ofensa ao celibato e solicitou orações por seu ministério.

Na declaração assinada no dia 31 de janeiro e enviada ao LifeSiteNews.com, o Padre Euteneuer, que liderou a organização Human Life International (HLI) desde 2000 até agosto de 2010, afirma com grande tristeza, que se afastou por ter cometido uma falta pessoal dentro “do ministério de exorcismo que desempenhei independentemente de minhas responsabilidades na HLI”.

Esclareceu que esta “violação à castidade” ocorreu “devido à debilidade humana mas não envolveu o ato sexual”.

“Devo admitir que uma situação particularmente complexa nublou meu juízo e me levou a imprudentes decisões com conseqüências daninhas, a pior das quais foi violar os limites da castidade com uma mulher adulta que estava sob meu cuidado espiritual”, afirmou o sacerdote de 48 anos de idade.

“Assumo toda a responsabilidade por meu pobre juízo, minha debilidade e minha conduta pecaminosa que disto resultou. Não tenho desculpas para justificar minhas falhas morais ou profissionais, nem culpo outras pessoas. Afirmo sem reserva que lamento muito minhas ações. Desculpei-me pessoalmente, em todos os lugares possíveis, com os que prejudiquei. Estou entristecido além das palavras por minha queda, não só pelo dano feito ao meu sacerdócio e à minha família, mas pelo dano feito a todos os afetados, à fé de quem depositou tanta confiança em mim e em nossa Igreja, e ao movimento pró-vida repleto de gente heróica e fiel”, escreveu.

O sacerdote assegurou que já pediu “perdão a Deus e tenho confiança em sua abundante misericórdia. Dou graças por poder pedir o mesmo a todos vocês”.

O sacerdote esclareceu que em sua saída da HLI os funcionários eclesiásticos não tiveram participação alguma e deplorou que alguns tenham “sido injustamente criticados por aqueles que escrevem e falam com ignorância dos fatos”, em alusão a certos sites que difundiram comentários e provas litográficas que distam da realidade.

Estas pessoas “fizeram esforços intoleráveis por entrar em contato com a minha família, difamar colaboradores inocentes e até persuadir a alguns para que se declarem como vítimas”.

O Padre Euteneuer rechaça as mensagens contra ele que circulam pela Internet e precisa que sua queda “limitou-se a uma só pessoa, uma mulher adulta” e deplora a acusação de que tenha como “alvos” mulheres vulneráveis que procuram sua ajuda espiritual; ele esclarece que seu ministério de exorcismo/oração sempre foi conduzido com a ajuda de terceiras pessoas salvo em estranhos casos de extrema necessidade; e sustenta que nunca solicitou dinheiro por seu serviço nem usou os recursos da HLI para cumprir com este ministério.

“Reza para que minhas duas décadas de fiel ministério sacerdotal e meus esforços pela defesa da vida sejam visto à luz dos bons frutos que produziram e não sejam denegridos por meus momentos de debilidade em um ministério mais desafiante”, acrescentou.

Também declarou que “nunca contemplei a mais ligeira idéia de deixar o santo sacerdócio ou a Igreja Católica em razão de minhas falhas. Atualmente, estou sob a obediência do meu Bispo quem me permitiu fazer esta declaração e em cujas mãos deixo todas as perguntas sobre a continuidade de meu ministério sacerdotal. Termino expressando minha mais profunda gratidão pelas orações de tantas pessoas generosas que me apóiam em meu sacerdócio e no movimento pró-vida”.

Em um comunicado difundido este 2 de fevereiro, a junta diretiva da HLI confirma que o sacerdote se retirou da presidência da organização por este caso de má conduta e “embora seja competência da Diocese de Palm Beach (à qual pertence o Pe. Euteneuer) e as autoridades eclesiásticas julgaram adequado abordar as questões referidas na declaração do Padre Euteneuer, pedimos à família da HLI que continue orando por todos os envolvidos. A HLI não foi, nem será, dissuadida de sua missão fundamental como missionária a favor da vida no mundo”.

Check Also

Autoridade vaticana: A teologia da libertação não faz falta para cuidar dos pobres

ROMA, 26 Ago. 13 / 01:30 pm (ACI/EWTN Noticias).- O secretário da Pontifícia Comissão para …