Home / Blog & Notícias / Sete bispos se ausentam de cúpula anglicana pela presença das “bispas” e bispos homossexuais

Sete bispos se ausentam de cúpula anglicana pela presença das “bispas” e bispos homossexuais

ppjeffertsschori2501111DUBLIN, 26 Jan. 11 / 01:53 pm (ACI).- Sete bispos anglicanos optaram por não assistir à cúpula mundial que reúne os líderes desta confissão entre os dias 25 a 30 de janeiro em Dublin, Irlanda, em rechaço à presença dos episcopalianos (anglicanos dos Estados Unidos) que apóiam a ordenação de mulheres e homossexuais como bispos.

O grupo de ausentes está composto pelo Gerald James Ernest, da província do Oceano Índico; Mouneer Hanna Anis, da igreja episcopaliana de Jerusalém e Oriente Médio; Nicholas Dikeriehi Okoh, da Nigéria; Henry Luke Orombi, da província de Uganda; John Crew, da província do sudeste asiático; Héctor Zavala, da igreja anglicana do Cone Sul da América; e Ofei Akrofi da província da África ocidental.

Além deste grupo, conforme informa a agência de notícias da comunhão anglicana, outros oito bispos se ausentarão por enfermidade, problemas migratórios ou compromissos em suas respectivas jurisdições.

Dos 39 bispos anglicanos que originalmente deviam assistir, apenas 24 deles chegam a Dublin, entre eles a presidenta dos episcopalianos (anglicanos nos Estados Unidos), a “bispa” Katharine Jefferts Schori, que exerce o cargo desde ano 2006.

O secretário geral da comunhão anglicana, Kenneth Kearon, considerou “lamentável que um primaz não possa comparecer porque isso significa que sua perspectiva particular não está representada, mas em última instância é decisão de cada um em consulta com sua província”.

A “bispa” Schori admitiu no último 23 de janeiro à BBC Radio que a ausência de sete bispos “é parte da objeção contra a igreja episcopaliana”.

Sobre a agenda a ser tratada nesta cúpula bianual, Kearon disse à cadeia BBC que incluirá os temas “dos pastores e bispos homossexuais” mas precisou que esta assembléia não tem poder de decisão “e não haverá votações sobre os assuntos a ser discutidos”.

Crise na comunhão anglicana

No ano 2003, a decisão dos episcopalianos norte-americanos de ordenar como bispo um homem abertamente homossexual, Gene Robinson, desatou uma grave crise ao interior da comunhão anglicana, que finalizou com uma moratória às ordenações de bispos homossexuais.

Entretanto, em julho de 2009, durante a convenção de Anaheim no estado da Califórnia (Estados Unidos) os episcopalianos norte-americano decidiram autorizar, por uma ampla margem de votação, a continuação destas ordenações.

Um episódio que agravou ainda mais as tensões na comunhão anglicana foi o “matrimônio” de duas lésbicas do clero episcopaliano em Massachusetts (Estados Unidos) no dia 1º de janeiro deste ano.

A crise na comunhão anglicana fez que muitos de seus membros solicitassem ao Vaticano seu ingresso à Igreja Católica.

Em novembro de 2009, o Papa Bento XVI publicou a constituição apostólica Anglicanorum coetibus, na que estabelece o modo no qual os anglicanos que assim desejem possam ingressar na plena comunhão da Igreja Católica.

Em 15 de janeiro de 2011, a Santa Sé anunciou a criação oficial do Ordinariato Pessoal de Nossa Senhora de Walsingham -cujo primeiro responsável é o agora sacerdote católico e ex-bispo anglicano Keith Newton- como “uma estrutura canônica que permite uma reunião corporativa de tal modo que os ex-anglicanos podem ingressar na plena comunhão com a Igreja Católica preservando elementos de seu patrimônio anglicano”.

Check Also

Autoridade vaticana: A teologia da libertação não faz falta para cuidar dos pobres

ROMA, 26 Ago. 13 / 01:30 pm (ACI/EWTN Noticias).- O secretário da Pontifícia Comissão para …