Home / Cartas do Leitor / Leitor pede que refutemos argumentos heréticos de uma nova seita oriunda do protestantismo.

Leitor pede que refutemos argumentos heréticos de uma nova seita oriunda do protestantismo.

LEITOR

Nome: L. Santos (Nome fictício)
Local: BA – Bahia

Irmãos, gostaria que refutassem essas afirmações, divulgadas em um artigo do Wikipedia,desde já agradeço!

”No Compêndio da História da Igreja, de autoria de Frei Dagoberto Romag, encontra-se referência à que a ordem do batismo escrita em Mateus 28:19 (trinitário) saiu da Pena de Tertuliano no ano 197. Tertuliano era natural de Cartago, filiado à doutrina da trindade de Montano. Escreveu o primeiro catecismo sobre o batismo da trindade, e instituiu o sinal da cruz, chamando-os de “A fé de Irineu e Tertuliano”.[9] Após sua morte no ano de 222/225, este dogma foi introduzido no ano 255, no primeiro sinódio dirigido por Cipriano. Na História teológica, Tertuliano foi chamado de autor do batismo da idolatria.[10] O bispo de Roma, Estevão I, não aceitou esse batismo como nova doutrina na Igreja de Cartago, mas não o eliminou. Sisto II aceitou a comunhão com a Igreja de Cartago, e em 313 em um outro sinódio confirmou a ordem do batismo em Nome do Pai Filho e Espírito Santo, contrária aos donatistas que batizavam em nome de Jesus Cristo. Em 325, foi realizado o primeiro concílio em Nicéia, para confirmar a trindade e o batismo em seu nome. Esse concílio foi presidido por Constantino, o bispo Silvestre, Hósio de Córdoba e Atanásio.[11]”. Link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Remanescente_Dualista_dos_Primog%C3%AAnitos

 

RESPOSTA

Percebi que é mais uma seita oriunda da heresia protestante desejando propagar seus erros e afastar as pessoas da Igreja de Cristo. É típico das seitas causarem divisão entre os seus próprios membros, como exemplo, temos a que acaba de chegar ao nosso conhecimento. Pelo que esta descrito, já se originou da “Igreja” Adventista da Promessa(outra seita). O motivo do racha? Foi devido alguns dos membros terem chegado à “conclusão” de que o batismo apostólico, difundido por Jesus e seus apóstolos, era realizado em nome de Jesus Cristo para perdão e remissão de pecados. Nunca vi uma conclusão mais equivocada  na qual chegaram os supostos membros, foram direcionados pelo próprio demônio, este sim gosta de causar divisão e confusão propagando erros na mente dos menos esclarecidos.

Mostrarei a estes falsos profetas o que foi ensinado pelos Apóstolos na época em que pregaram o evangelho. Vejamos a Didaquê (Διδαχń, “ensino”, “doutrina”, “instrução” em grego clássico) ou Instrução dos Doze Apóstolos (do grego Didache kyriou dia ton dodeka apostolon ethesin) é um escrito do século I que trata do catecismo cristão. É constituído de dezesseis capítulos, e apesar de ser uma obra pequena, é de grande valor histórico e teológico. O título lembra a referência de «E perseveravam na doutrina dos apóstolos …» (Atos 2:42).

Vejamos o que diz a didaquê em relação ao batismo:

“Quanto ao batismo, faça assim: depois de dita todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente. Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Antes de batizar, tanto aquele que batiza como o batizando, bem como aqueles que puderem, devem observar o jejum. Você deve ordenar ao batizando um jejum de um ou dois dias.”

Nos escritos da Didaquê são reforçados claramente o batismo no nome do Pai, Filho e Espírito Santo, sendo argumento claro para os que aceitam o dogma da Trindade, contrapondo-se totalmente aos não trinitários. Diante de tal registro histórico é desmascarada a heresia propagada pelos membros da nova seita que surge, demonstrando claramente que o ensino deixado pelos Apóstolos é totalmente contrário ao que eles desejam propagar.

A respeito do Batismo de Jesus

Os falsos pastores acabam causando grande confusão, principalmente quando se trata do batismo em nome de Jesus. Devido a uma leitura fundamentalista sem nenhum contexto, acabam arrancando muitas páginas do Evangelho para sustentar sua heresia. Vamos esclarecer melhor o contexto para que não vire pretexto de lobos usurpadores do evangelho.

No dia de pentecostes, São Pedro diz: “Esse Jesus Deus ressuscitou, e disso nós todos somos testemunhas”. “A ele justamente Deus constituiu senhor e Messias, esse Jesus que vós crucificastes”( At 2 , 36 ; ) “Quando ouviram isso, todos ficaram de coração aflito e perguntaram a Pedro e aos outros discípulos: irmãos, o que devemos fazer? Pedro respondeu: Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos pecados; depois receberão do Pai o dom do Espírito Santo.”( At 2 , 37 –  38; )

Os falsos pastores pegam a passagem de At 2, 37-38; para sustentar que Pedro batizava apenas em nome de Jesus. Ora, dizia-se batizar em “nome de Jesus” para diferenciar de outros batismos existentes, com os quais não devia ser confundido. Antes de João Batista havia o autobatismo. Era um banho que se repetia de acordo com a necessidade. Com a chegada do Batista há uma mudança radical. Agora, ele batiza os outros e o seu batismo não é renovado, já que sua mensagem tem caráter messiânico. Ele insiste na mudança de vida, pois “João percorria toda a região do rio Jordão, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados.” O batismo de João é provisório, mas anuncia o definitivo. Sendo o Batismo instaurado por Jesus o definitivo, não poderia ser confundido com os outros. Eis o motivo da declaração de Pedro quando retrata o Batismo em nome de Jesus.

Se quisermos, podemos seguir a autoridade de Santo Ambrósio e São Basílio, Padres de muita virtude e critério, que ao Batismo “em nome de Jesus” davam a seguinte interpretação: Estas palavras designavam o Batismo instituído por Cristo Nosso Senhor, em oposição ao Batismo conferido por João; nem por isso se desviam os Apóstolos da forma comum e usual, que discriminam os nomes das três Pessoas Divinas no rito Batismal.

Sendo assim, acabamos de desmascarar mais uma falsa afirmação de seitas oriundas do protestantismo!

A fórmula ritual do batismo

O Batismo é, pois este renascimento para a vida da graça. Ele é ministrado em nome da Santíssima Trindade – Pai, Filho e Espírito Santo – porque assim como o homem foi criado por Ela, “façamos o homem a nossa imagem e semelhança“(Gen. 1,26), assim também é obra das três pessoas da SS. Trindade este renascimento espiritual.

Quanto acerca do momento em que a lei do Batismo foi promulgada, não há lugar para incertezas. Todos os escritores eclesiásticos concordam em dizer que foi depois da ressurreição de Nosso Senhor. Antes de subir ao céu Jesus deixou uma mandato para seus discípulos : “Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês.” Mt 28,19-20;

O Concílio de Trento estabelece o teor da forma que se deve seguir:

§ 13 – Em termos claros e singelos, de fácil compreensão para todos, devem os pastores ensinar que a forma exata e completa do Batismo é a seguinte:”Eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Assim ensinou Nosso Senhor Jesus e Salvador, quando prescreveu aos Apóstolos no Evangelho de São Mateus: “Ide, ensinai todos os povos, e batizai-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” Mt 28,19

Além disso, se diz “em nome” e não “nos nomes”, para indicar que é uma e uma a natureza e divindade na Santíssima Trindade. O termo “nome” não se refere aqui às Pessoas, mas designa a substância, virtude e onipotência divina, que é uma e a mesma nas três pessoas.

Com pequenos argumentos creio ter destruído as mentiras e heresias propagadas por esses bandos de falsos pastores, usurpadores do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Espero ter ajudado em responder seus questionamentos.  A paz de Cristo !!!

“Não há muitas igrejas, há apenas uma. É a Igreja Católica de um lado, e seu inimigo mortal do outro.” Hilaire Belloc

In corde Iesu et Mariae,
Mendes Silva – Apostolado Spiritus Paraclitus

Check Also

Porque quando ouvimos relatos de aparições ou comunicação de santos ou pessoas que foram católicas, e quando acontece a mesma coisa com o espirita por exemplo é o demonio.

Enviado por D. E. B. Religião: catolico Estado: PR – Paraná Corpo da mensagem: Boa …