Home / Cartas do Leitor / Resposta aos comentários de um pseudo católico

Resposta aos comentários de um pseudo católico

LEITOR

Nome: E. M.
Religião: Católico
Estado: AM – Amazonas
Enviada em: 21 de novembro de 2011 08:33

é notório perceber que o batismo infantil se retrata em criar quantidade de católicos e não qualidade, estratégia de nossa igreja pra dizer que somos numerosos, e infelizmente envergonhar a si mesma..tanto que a referencia bibliográfica nem se quer cita a bíblia..JESUS DISSE crê se seja batizado..depois enfatiza o crê NELE POR DUAS vezes..e as maravilhas dos crentes NELE..pela ordem cronológica não precisa nem dizer o que vem primeiro..MC 16;16..como pode um bebe crer em CRISTO…pq digo da igreja envergonhar a si mesma , pois a pessoa mente,bebe, fuma é viciada ..se envolve com pornografia vendo as novelas, adultera, rouba e depois diz ..EU SOU CATÓLICO fui batizado quando criança….e nem se quer sabe o que CRISTO disse…tenho a certeza que a igreja precisa parar de reescrever a biblia com esses dogmas que não tem fundamento na palavra de DEUS..querendo pegar um pedaço do texto solto juntar com outro e fazer interpretações equivocadas…PROV. 30;5-6, veja os padres se perdendo na vaidade e na luxuria …virando artistas do mundo…e celebridades, veja o PAPA gastando horrores para visitar um País em crise econômica.pra que tanto LUXO daqueles que vivem da FÉ..seguem realmente o exemplo de PEDRO no qual ele se espelha…por isso mais uma vez estamos sendo RIDICULARIZADOS com esse show M.I.S.S.A. que percorre o País..fora os bem aventurados (santos) que desfilaram na parada GAY…isso ta se tornando comum por nossa unica culpa ..de quer quantidade ao invés de qualidade (pecadores sim, mais adoradores de um único DEUS e um único MEDIADOR E SALVADOR ==JESUS CRISTO)

RESPOSTA

Você se comporta como protestante além de estar impregnado de correntes modernistas, a perceber por seus comentários. Faça o favor ao menos de organizar o pensamento antes de escrever algo, assim  teremos menos trabalho buscando decifrar o que desejas expressar – não vi até então questionamento tão mal formulado sem ordem lógica alguma.

Devido à avalanche de questionamentos iremos dividir em etapas para melhor responder cada tópico.

“é notório perceber que o batismo infantil se retrata em criar quantidade de católicos e não qualidade, estratégia de nossa igreja pra dizer que somos numerosos, e infelizmente envergonhar a si mesma..tanto que a referencia bibliográfica nem se quer cita a bíblia.”

É notório para quem? Para os católicos bem esclarecidos, isto não tem nada de notório. No mínimo é notório apenas para heresiarcas ou cismáticos, já que os mesmos abraçam o erro e se revoltam contra a autoridade com obstinação, pecando assim gravemente. Afinal, é típico de hereges negar um ponto da doutrina católica definido em virtude da infalível autoridade da igreja, procurando se apoiar nas escrituras para sustentar os seus erros.

Como ainda tens coragem de dizer: “a nossa Igreja ?” – A Igreja que conheço, nunca ensinou o que você vem afirmar. Ela se preocupa com a salvação das almas e não com quantidade. Você ao distorcer o que ensina a Igreja sobre o batismo de crianças acaba por aderir ao que ensina os protestantes – duvido eu que você não seja um querendo se passar por católico;  Muitos não aceitam o Batismo Católico, alegando que a criança não tem consciência do pecado e muitas vezes dizem que ela ainda nem pecou. Afirmam isso é um erro, sem nenhum conhecimento de causa.

Analisemos a situação das crianças a começar pelas palavras do Salmista, que diz: “Eis que nasci na culpa, minha mãe concebeu-me no pecado.” (Salmo 50,7). Este versículo resume o que a Igreja ensinou desde sempre sobre o Pecado Original, ou seja, desde que Adão e Eva pecaram todos receberam deles a herança do pecado. Interessante que os protestantes dizem que a criança não tem consciência do pecado, mas em verdade a maioria dos homens ou quase todos os homens não tem consciência do próprio pecado, por isso o Salmista diz: “quem pode, entretanto, ver as próprias faltas? Purificai-me das que me são ocultas.” (Salmo 18,30). Não tendo homens e crianças consciência do próprio pecado, eles não deixam de ser pecadores.

Você ainda comete outro erro grotesco em dizer que não existe referência bíblica. São Paulo, pelo que lemos, havia batizado uma família inteira. Na compreensão judaica da família e alianças, eram incluídos os idosos, os adultos, os servos, e as crianças. Nesse caso é evidente que tenha batizado também as crianças dessa família. Quando Pedro pregou sob a inspiração do Espírito Santo no dia de Pentecostes, ele estava falando para um público judeu (At 2:5-35).Pedro anunciou, “Convertei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos vossos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vós e vossos filhos”. (At 2:38-39). Se a prática do batismo infantil tivesse sido ilícita ou proibida, certamente teria sido explicitamente banida, principalmente para conter os judeus da aplicação de Batismo para seus filhos, como fizeram a circuncisão.  Mas não encontramos nenhuma proibição no Novo Testamento nem nos escritos dos Patriarcas, um silêncio que é muito profundo.

Leve em conta também, que era de praxe circuncidar os meninos, ao oitavo dia de seu nascimento. Ora, se para eles sortia efeito a circuncisão, praticada com a mão “para despojar a carne”, não há duvida que às crianças também aproveite o Batismo, essa “circuncisão de Cristo, a qual não é praticada por mão humana.”(Cl 2,11). Ainda ensina o Apostolo, “se pelo delito de um só, e por causa de um só, veio a reinar a morte, muito mais reinarão na vida, graças a um só, que é Jesus Cristo, todos quantos receberam abundantemente a graça e o dom da justificação.”(Rm 5,17). Logo, se por culpa de Adão as crianças contraem o pecado original, tanto mais podem elas receber Cristo Nosso Senhor a graça e a justiça, para reinarem na vida. Isto, porém, seria absolutamente impossível sem o batismo.

Levando em consideração o que você diz:[…]tanto que a referencia bibliográfica nem se quer cita a bíbliadeixando transparecer que és protestante – Aproveito para ensinar um pequeno detalhe, bem  conhecido a todo bom Católico: “Nem tudo se encontra na sagrada escritura.

Veja o que ensina São João: “Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e foi quem as escreveu: e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. Há, porém, muitas outras coisas que Jesus fez. Se fossem escritas uma por uma, creio que o mundo não poderia conter os livros que se escreveriam.” (Jo 21, 24-25;).

O conjunto das verdades reveladas por Deus, que foram entregues a Igreja e que o Magistério eclesiástico conserva é depósito da Revelação. A revelação esta contida na Sagrada Escritura e na Tradição: a) Uma parte das verdades reveladas foi escrita por aqueles a quem Deus as revelou, e é chamada a Sagrada Escritura; b) A outra parte não foi escrita, mais sim transmitida oralmente, e chama-se Tradição.

Conservai-vos firmes na fé, e guardai as tradições que aprendestes, quer pela nossa pregação, que pela carta.”( 2 Ts 2, 14; ). Aqui dá exatamente o mesmo valor, como fonte de fé, à sua Carta(Escritura) e à sua pregação(Tradição)

Em relação à tradição recebida, temos testemunhos autênticos e dignos de credibilidade dando sustento à prática até hoje realizada pela Igreja Católica:

“Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças” (São Cipriano, ano 248 – Carta a Fido).

“Ele (Jesus) veio para salvar a todos através dele mesmo, isto é, a todos que através dele são renascidos em Deus: bebês, crianças, jovens e adultos. Portanto, ele passa através de toda idade, torna-se um bebê para um bebê, santificando os bebês; uma criança para as crianças, santificando-as nessa idade…(e assim por diante); ele pode ser o mestre perfeito em todas as coisas, perfeito não somente manifestando a verdade, perfeito também com respeito a cada idade” (Santo Irineu, ano 189 – Contra Heresias II,22,4).

“Onde não há escassez de água, a água corrente deve passar pela fonte batismal ou ser derramada por cima; mas se a água é escassa, seja em situação constante, seja em determinadas ocasiões, então se use qualquer água disponível. Dispa-se-lhes de suas roupas, batize-se primeiro as crianças, e se elas podem falar, deixe-as falar. Se não, que seus pais ou outros parentes falem por elas” (Hipólito, ano 215 – Tradição Apostólica 21,16).

“A Igreja recebeu dos apóstolos a tradição de dar Batismo mesmo as crianças. Os apóstolos, aos quais foi dado os segredos dos divinos sacramentos sabiam que havia em cada pessoa inclinações inatas do pecado (original), que deviam ser lavadas pela água e pelo Espírito” (Orígenes, ano 248 – Comentários sobre a Epístola aos Romanos 5:9)

“Este [o batismo infantil], a Igreja sempre teve, sempre manteve, o que ela recebeu da fé dos nossos antepassados; isso, ela guarda perseverantemente até o fim” (Santo Agostinho , Sermão. 11, De Verbo Apost) e “Quem é tão impiedoso  ao desejar excluir as crianças do reino dos céus proibindo-as de ser batizadas e nascidas de novo em Cristo?” (Agostinho, sobre o pecado original 2, 20).

Como demonstrado, seus comentários em relação ao batismo infantil não possui  lógica nenhuma, contrariando até o que ensinava a igreja primitiva. O livre exame, no qual você tem sido contaminado é causa de tanta confusão, chagando ao ponto de fazer você ficar mais perdido que cego em tiroteio.

..JESUS DISSE crê se seja batizado..depois enfatiza o crê NELE POR DUAS vezes..e as maravilhas dos crentes NELE..pela ordem cronológica não precisa nem dizer o que vem primeiro..MC 16;16.. como pode um bebe crer em CRISTO…

Meu caro amigo filho da reforma, a oposição ao batismo infantil reside principalmente nos anabatista que teve origem no século XVI, e que foi fortemente contestada pelos reformadores Martinho Lutero e João Calvino(desobedecem os próprio mentores) que tanto consideravam o batismo infantil. Logo, seu questionamento aqui descrito não é novidade alguma.

Supondo eu, ter você desejado escrever “bebê” ao invés de “bebe”, darei prosseguimento a resposta. A vida divina dada por meio do batismo, é a maior graça que alguém pode receber.  Não se pode esperar que a criança cresça para que possa escolher o nome que deseja, a língua que deseja falar, o colégio que deseja estudar, a família com quem deseja viver. Sabe-se que essas coisas são um bem para ela, por isso, lhes são dadas antes que entenda. Ora, a vida divina também um bem como dito antes, sendo assim, deve ser levada em consideração. O fato de crianças não terem condição de fazer o ato de fé não é problema. Conforme Santo Agostinho, elas são batizadas na fé da Igreja. Agora, em que base a Igreja acredita que a fé de uma pessoa pode “ajudar” a outra?  As Escrituras estão cheias de exemplos onde Jesus estende a graça de cura para pessoas com base na fé dos outros.  Por exemplo, Jesus perdoa os pecados do paralítico com base na fé daqueles que o trouxeram.(Mt 9:2; Mc 2:3-5) Jesus cura o servo do centurião baseado na fé do centurião.(Mt 8:5-13) Jesus exorciza espírito impuro da criança baseado na fé do pai.(Mc 9:22-25) No Antigo Testamento, Deus salvou a vida do primeiro filho, durante a Páscoa com base na fé dos pais.(Ex 12:24-28). Devemos nos perguntar: Se Deus está disposto a efetuar a cura física e espiritual para crianças baseado na fé de seus pais, quanto mais ele dará a graça do batismo para as crianças com base na fé de seus pais?

Se fores católico realmente, esta na hora de comprar um Catecismo e começar a estudar.

pq digo da igreja envergonhar a si mesma , pois a pessoa mente,bebe, fuma é viciada .. se envolve com pornografia vendo as novelas, adultera, rouba e depois diz ..EU SOU CATÓLICO fui batizado quando criança….e nem se quer sabe o que CRISTO disse[…] veja os padres se perdendo na vaidade e na luxuria …virando artistas do mundo…e celebridades[…]

Você se diz Católico (ao meu ver é protestante) e não conhece a própria doutrina, isto sim é uma vergonha. Para todos os não-católicos e, infelizmente, também para muitos maus católicos de hoje(pelo visto você é um deles), a Igreja é uma instituição meramente humana, constituída apenas por pecadores. É lamentável o fato de que o significado sobrenatural da palavra “Igreja” – a saber, a santa e imaculada Esposa de Cristo –  seja desconhecida da esmagadora maioria das pessoas. A Igreja é santa e incorruptível, por ter o próprio Cristo como sua cabeça, de onde lhe provém toda a santidade. Logo, a mesma não têm pecado algum; têm-no os seus filhos, estes que estão sujeitos a pecar, por maior que seja a sua dignidade. Muitos de seus filhos são santos, levam um vida altamente edificante e piedosa(o que você não enxerga), mas dentro dela há também homens que erram, são pecadores porque o Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.(Mt 13, 47-50)

Mesmo diante da infidelidade de alguns filhos da Igreja, a mesma permanece santa e imaculada, o fato de existir nela filhos pecadores não é surpresa. Surpresa e escândalo causam aos membros oriundos da reforma protestante; Explico, os primeiros reformadores ensinavam que o pecador se salva sem arrependimento: “Sê pecador e peca fortemente, mas confia e rejubila-te mais fortemente ainda no Cristo vencedor do pecado.”, dizia Lutero na sua carta a Melanchton, em 1521, este mesmo Lutero que dizia “a contrição que se prepara pelo exame e recapitulação e detestação dos pecados, pelos quais alguém relembra os seus anos na amargura de sua alma, ponderando a gravidade, multidão e fealdade dos pecados, a perda da eterna felicidade e aquisição da condenação eterna, ESTA CONTRIÇÃO FAZ HIPÓCRITA O HOMEM E ATÉ MAIS PECADOR.”(Lutero. Edição Weimat VII-13). Tal ensino contraria a Sagrada Escritura: “Se dizemos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se reconhecemos os nossos pecados, (Deus aí está) fiel e justo para nos perdoar os pecados e para nos purificar de toda iniqüidade.Se pensamos não ter pecado, nós o declaramos mentiroso e a sua palavra não está em nós.” (I Jo 1, 8-10). Ora, Lutero ao ensinar a salvação apenas pela fé, acabara por excluir a necessidade do arrependimento. Logo, reconhecer o pecado cometido e arrepender-se acabaria por se tornar motivo de muita surpresa e escândalo.

Eis o motivo de você ficar tão escandalizado ao saber que os filhos da Igreja são pecadores. Afinal, só sabe o que é o pecado quem luta contra ele; quem não o leva em consideração, nunca o conhece.

Como conselho indico a leitura da epístola de São João(I Jo  1, 8-10), quem sabe assim pare de ficar julgando o pecado dos outros,  Cristo o fará em sua volta gloriosa. A nós cabe denunciar o erro, entretanto sem perder de vista a caridade, indicando o caminho certo ao pecador – coisa que você não deve fazer; Outra, vá atrás de um bom curso de Eclesiologia, Católico de preferência.

[…]tenho a certeza que a igreja precisa parar de reescrever a biblia com esses dogmas que não tem fundamento na palavra de DEUS..querendo pegar um pedaço do texto solto juntar com outro e fazer interpretações equivocadas[…]

Pelo visto você anda bem desorientado, é bom estudar um pouco história da Igreja antes de falar tamanha besteira. Como assim a Igreja Católica precisa para de reescrever a bíblia e fazer interpretações equivocadas?  Acho que você anda lendo muito gibi meu caro. Lutero depois de romper com a interpretação tradicional da Igreja estabeleceu a heresia do livre exame. O livre exame, doutrina tradicional do protestantismo, consiste em admitir que cada qual “tem o direito” de interpretar como quiser a Sagrada Escritura. Em função do livre exame, o Protestantismo acha-se divido em inumeráveis seitas, que professam doutrinas contraditórias, já que cada um interpreta a bíblia ao seu bel prazer de forma totalmente equivocada. Em função disto algumas denominações batizam crianças; outras não as batizam; algumas observam o domingo; outras, o sábado; algumas têm bispos(genéricos); outras não os têm; algumas têm hierarquia; outras entregam o governo da comunidade à própria congregação (congregacionalistas); algumas fazem cálculos precisos para definir a data do fim do mundo – o que para elas é essencial; Outras não se preocupam com isto. Vê-se assim que a Mensagem Bíblica é relida e reinterpretada diversamente pelos diversos fundadores dos ramos protestantes, que desta maneira dão origem a tradições diferentes e cismáticas.

Como você ainda tem coragem em dizer à Igreja Católica fazer interpretações equivocadas? Acorda rapaz, deixa de ler gibi. A Igreja, depositária da Palavra de Deus, permanece fiel a Jesus Cristo que não fundou senão uma única Igreja, com uma só doutrina e um só chefe. S. Paulo, ao recomendar aos fiéis de Éfeso uma estrita unidade, emprega a formula: “Um só Senhor, uma só fé, um só batismo” – isto é expresso naquilo que vive a Igreja Católica – a tríplice unidade: de doutrina(uma só fé), de governo(um Só Senhor) e de culto(um só batismo). Logo, dizer que a Igreja vive reescrevendo a bíblia e criando interpretações equivocadas é uma tremenda calunia.

Você ainda diz serem os dogmas inventados pela Igreja Católica.  Eis que o protestante revela sua face!

Primeiro, a Igreja, que é depositária da Palavra de Deus, a qual é imutável, não pode tirar ou acrescentar nada. Segundo, quando a Igreja define solenemente um novo dogma, não estabelece uma nova verdade, não contida na Escritura e na Tradição; mas, pelo contrário, declara que essa verdade está contida na Sagrada Escritura e na Tradição, e que portanto devemos admiti-la. Terceiro, a doutrina ensinada pela Igreja nem mesmo pode ser inventada, pois Cristo garantiu a firmeza e a estabilidade de sua doutrina, prometendo que as portas do inferno não prevalecerão sobre ela.(Mt 16,18). Quarto, a tradição oral da Igreja Católica começa com Cristo e os Apóstolos, ao passo que as tradições dos protestantes começam com Lutero (1517), Calvino (1541), Knox (1567), Wesley (1739), Joseph Smith (1830) e etc. Entre Cristo e os Apóstolos, de um lado, e os fundadores humanos das denominações protestantes, do outro lado, não há como hesitar: só se pode optar pelos ensinamentos de Cristo e dos Apóstolos, deixando de lado os contestadores.

Seu comentário em dizer os dogmas não ter fundamento, é simplesmente sem fundamento. No mínimo é atribuir a Igreja o erro. Caso a Igreja não fosse coluna e sustentáculo da verdade, poderia equivocar-se e ensinar o erro. A Igreja depositaria da Palavra de Deus não pode equivocar-se e ensinar o erro, pois está escrito que: “é a Igreja de Deus vivo, COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE” (I Tm 3,15). Logo, a Igreja sendo coluna e sustentáculo da verdade, não podendo equivocar-se e levar ninguém ao erro.

[…]veja o PAPA gastando horrores para visitar um País em crise econômica.[…] seguem realmente o exemplo de PEDRO no qual ele se espelha[…]

Avise-me a forma de viajar sem gastos, assim eu informo ao Vaticano. Afinal de contas, eu não ouvi falar em lugar algum que: passagens, hospedagem, alimentação sejam de graça nas viagens; De graça só viagens pela internet, você deve fazer muito não é mesmo?!

Retomemos o trabalho, antes de subir aos céus Cristo perguntou por três vezes a Pedro: ”Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?”. E, depois de sua tríplice confissão, disse-lhe Jesus: “Apascenta os meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas”. E completa: ”Em verdade, em verdade te digo: quando eras mais moço, cingias-te e andavas aonde querias. Mas, quando fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres”(Jo 21,25). Em nenhum momento Jesus envia São Pedro a apascentar as ovelhas quando estivesse apenas em dia ensolarado, brisa suave, ou até mesmo quando não estivesse em tempo de crise econômica. Pelo contrário, deu a entender que a Ele não caberia mais fazer a sua vontade, sendo necessário doar a própria vida se preciso. É bom lembrar ainda, que Cristo nomeou São Pedro chefe da sua Igreja; Porém, era necessário que Pedro tivesse sucessores, porque os poderes que Jesus lhe confiou não foram para o bem pessoal do Apóstolo, mais sim para o bem da Igreja, que, segundo a promessa de Cristo, há de durar até o fim dos tempos. O Papa que é o Vigário de Cristo aqui na terra, e sucessor de São Pedro não faz senão seguir o exemplo daquele que fora chamado a confirmar os filhos da Igreja na fé. Então faça chuva, sol, em épocas de crise ou não, o Santo Padre tem o dever de firmar os filhos da Igreja na fé, obediente ao envio do Mestre, e seguindo assim o exemplo do Primeiro, São Pedro.

“[…]pra que tanto LUXO daqueles que vivem da FÉ”

Meu caro, este questionamento parte da visão comunista igualitária que pretende condenar toda a riqueza e toda a autoridade. A riqueza é boa como todos os bens, desde que seja corretamente utilizada. O mau uso de um bem é que deve ser condenado e não o bem em si. A riqueza sendo bem aplicada torna-se um excelente instrumento da Providência para socorrer os mais necessitados e promover a caridade. Os Atos dos Apóstolos narra que os cristãos depositavam aos pés dos apóstolos seus bens para que pudessem ser administrados pela Igreja, onde os recursos eram para socorrer os mais necessitados.  Ao longo dos séculos a Igreja Católica não fez senão o mesmo, podemos citar: orfanatos, as escolas, os asilos, hospícios e hospitais; Todas essas sendo criadas pela Igreja e usadas sempre para socorrer os pobres. E como poderia a Igreja Católica fazer tudo isso sem dinheiro? Se as congregações, institutos, comunidades religiosas possuem muitos bens hoje é devido ao fato de ter ajudado inúmeras pessoas ao longo dos séculos, recebendo das mesmas doações e muitos bens como forma de gratidão.

Vejamos neste momento o que encontramos na Sagrada Escritura. No Antigo Testamento, Deus exigiu que o sangue dos bodes sacrificados no Templo fosse recolhido em vasos de ouro – Se o sangue dos bodes ofertados a Deus devia ser recolhido em vasos muito ricos, em que vasos se deve recolher o sangue de Cristo, na Missa? No novo testamente, presenciamos os reis magos levarem a Cristo incenso, mirra e OURO. No caso, nos ensina a oferecer a Cristo também os bens materiais, simbolizados pelo OURO. Você se esquece ainda que Jesus ao caminhar pobremente pelas estradas da Judéia usava um manto inconsútil, tão valioso que atiçou a cobiça dos soldados, que não o dividiram entre si no Calvário, mas lançaram dados sobre ele, para ver quem o ganhava inteiro. Depois do que aqui foi abordado, só lhe resta lamentar por sua visão tão limitada!

Você questiona a riqueza dos que vivem da fé, no mínimo em função das obras de arte, ouro, e edifícios por ostentar riqueza, esplendor e grandiosidade.  Tudo isso representa um acervo de séculos e séculos, mesmo que a Igreja desejasse doar seu patrimônio aos pobres – não poderia, pois grande parte do mesmo é tombado como patrimônio histórico da humanidade. Que fique claro a riqueza da Igreja ser excelente, pois permite socorrer a necessidade dos pobres, promover a fé e tornar o culto no templos mais dignos – onde é sacrificado o cordeiro de Deus.

Pra finalizar, seu questionamento se parece com o de Judas, o próprio se queixou de que um caro perfume que havia sido usado para honrar a Cristo alegando que tal perfume poderia ser vendido para com o dinheiro se ajudar os pobres: “Então Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar, disse: por que se não vendeu este bálsamo por trezentos dinheiros, e se não deu aos pobres?” (Jo 12, 4-6).

A riqueza da Igreja tem ajudado a salvar muitas vidas:

por isso mais uma vez estamos sendo RIDICULARIZADOS com esse show M.I.S.S.A. que percorre o País…fora os bem aventurados (santos) que desfilaram na parada GAY…isso ta se tornando comum por nossa unica culpa ..de quer quantidade ao invés de qualidade (pecadores sim, mais adoradores de um único DEUS e um único MEDIADOR E SALVADOR ==JESUS CRISTO)

Meu irmãozinho você tem mesmo uma mentalidade protestante, somente os oriundos da reforma protestante acreditam bastar aceitar Jesus para que tudo vire um mar de rosas. Porém, não foi o ensinado por Jesus: “Se alguém quiser vir comigo, TOME A SUA CRUZ e siga-me“(Mt 16,24) ; “No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16.33);

Não há motivo de ficares tão impressionado pelo fato de sermos ridicularizados, já que sempre existiu – desde os primórdios da Igreja – os inimigos da cruz de Cristo; “Pois há muitos dos quais muitas vezes vos disse e agora repito, chorando, que são INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO: seu fim é a destruição, seu deus é o ventre, sua glória está no que é vergonhoso, e seus pensamentos no que está sobre a terra. Mas a nossa cidade está nos céus de onde também esperamos ansiosamente como Salvador o Senhor Jesus Cristo, que transfigurará nosso corpo humilhado, conformando-o ao seu corpo glorioso, pela força que lhe dá poder de submeter a si todas as coisas.” (Fl 3,18-19);  Se hoje somos perseguidos  e ridicularizados, é pelo simples fato da Igreja estar realmente comprometida com o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo: ”Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino do Céu”(Mt 5, 10)

Quanto aos eventos por você descrito não faz senão confirmar o que esta escrito: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” (2 Tm 4.1-5);

Aos bons cristãos o melhor a fazer é ser paciente, buscar a perfeição e orar por estas almas que se encontrão na perdição – Aos não convertidos, cabe ficar julgando e buscando culpados! Uma coisa é lutarmos pelos nossos direitos e fazer com que a fé seja respeitada, outra totalmente diferente, é nos iludirmos que tudo irá parar por aí.

Em relação ao único mediador e salvador, ensina a Igreja Católica: A Cruz é o único sacrifício de Cristo, único mediador entre Deus e os homens” (C.I.C 618). Bom, ao menos você lembrou alguma coisa nos tempos de sua má catequese. Porém, não esqueça da  intercessão dos Santos: “Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de interceder por nós ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por conseguinte, pela fraterna solicitude deles, nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio”(C.I.C 956)

“Um homem Cristão é Católico enquanto vive no corpo; decepado deste, torna-se um herege. O Espírito não segue um membro amputado.”(Santo Agostinho)

In corde Iesu et Mariae,
Mendes Silva – Apostolado Spiritus Paraclitus

Check Also

Porque quando ouvimos relatos de aparições ou comunicação de santos ou pessoas que foram católicas, e quando acontece a mesma coisa com o espirita por exemplo é o demonio.

Enviado por D. E. B. Religião: catolico Estado: PR – Paraná Corpo da mensagem: Boa …