Home / Cartas do Leitor / Por qual motivo a Igreja não larga as heresias ?

Por qual motivo a Igreja não larga as heresias ?

Nome: J. A.
Religião: Evangélico
Estado: CE – Ceará

Corpo da mensagem:

Atualmente tenho cinqüenta e nove anos e fui católico por mais de quarenta. Durante todo esse tempo não conhecia as Sagradas Escrituras (Bíblia). Fazia promessas, participava de procissões e outros rituais inerentes a fé católica, até que certas dificuldades cotidianas me levaram ao desejo impulsivo de conhecer com maior profundidade a vontade do meu Deus. Adquiri uma Bíblia, e tão grande fora a minha decepção a cada versículo lido. Ainda maior decepção ocorreu quando iniciei uma busca sobre a história da igreja.

Passei para uma igreja evangélica, porém com cautela, visando não cair em novas decepções. Tudo parecia estar em conformidade com as escrituras, mas percebi interesses políticos, financeiros, e outras coisas mais.

Agora me dedico, solitariamente, a divulgar o Evangelho pelos meios que tenho acesso. Sei que a igreja católica prega coisas boas e faz obras boas. Fui aero navegante no interior da Amazônia e sou testemunha do trabalho incansável de missionários católicos no interior daquela região.

Apesar de tudo eu não consigo entender porque os líderes da igreja católica não retomam a Palavra de Deus e retira todas as heresias (e não são poucas) adquiridas ao longo do tempo. Sei que isso não é tarefa fácil e que “cabeças rolariam”; mas se no passado muitos sacrificaram suas próprias vidas por esta causa, já não está na hora de isso acontecer novamente?

A retratação do Papa pelos ocorridos em períodos passados não tem validade se a igreja não cancelar todas as convenções feitas a partir dos primórdios e reiniciar nova caminhada, desta vez sobre a exclusiva luz da Bíblia.

RESPOSTA

Caro J. A. agradecemos seu email recebido por nosso apostolado e desde já também gostaríamos de deixar nossa gratidão pela credibilidade a nós concedida por sua parte. Antes de mais nada gostaríamos que aqui ficasse também explícito que em nenhum momento iremos falar algo direcionado a atacar “A” ou “B” mas que única e exclusivamente iremos colocar exposta a Verdade sobre tudo que você expôs nesse breve comentário que fizeste. Iremos abordar por partes seus comentários para podermos melhor entendermos.

1.  “Atualmente tenho cinqüenta e nove anos e fui católico por mais de quarenta. Durante todo esse tempo não conhecia as Sagradas Escrituras (Bíblia). Fazia promessas, participava de procissões e outros rituais inerentes a fé católica, até que certas dificuldades cotidianas me levaram ao desejo impulsivo de conhecer com maior profundidade a vontade do meu Deus. Adquiri uma Bíblia, e tão grande fora a minha decepção a cada versículo lido.”

Pelo o que podemos perceber nesse trecho meu caro colega há aqui um erro bem grave. Veja seria impossível que você pudesse conhecer as Sagradas Escrituras se você não a possuísse, pelo o que se pode analisar você veio a adquiri-la somente após ter saído da Santa Igreja, sendo assim a culpa não tem nada haver com a Mãe Igreja mas com uma certa comodidade e uma “fé mecanizada” de sua parte nesse período da sua vida que você mencionou. Os ritos que por você são mencionados são apenas uma pequena parcela daquilo que é realmente necessário à salvação e, de certa forma, se isso torna-se pra você um tipo de compra e troca com Deus como uma obrigação por ser católico e ter de participar de ritos como os mencionados, uma ora ou outra você acabaria (como aconteceu) perdendo totalmente a Fé de 2000 anos que alimenta a Igreja e passando a sentir apenas meras superficialidades. Outra coisa de notar-se é que você não menciona o Sacrifício da Santa Missa, que é imprescindível na Fé Católica, que é a fonte e o ápice de toda nossa Fé, é infinitamente maior do que qualquer outra expressão exterior de nossa fé e nos alcança todas as graças necessárias, como dizia São Bernado: “Fica sabendo, ó cristão, que mais se merece participar devotamente de uma só Missa, do que distribuir todas as riquezas aos pobres e peregrinar toda a Terra”. Ou como mencionava o Angélico Tomás de Aquino: “Nenhum outro sacramento é mais salutar do que a Eucaristia. Pois, nele os pecados são destruídos, crescem as virtudes e a alma é plenamente saciada de todos os dons espirituais. A Eucaristia é o memorial perene da paixão de Cristo, o cumprimento perfeito das figuras da antiga aliança”. Sem isso é impossível ter-se um verdadeiro conhecimento de nossa Fé Católica!

Santa Teresa de Ávila:

“Não há meio melhor para se chegar à perfeição”.

“Não percamos tão grande oportunidade para negociar com Deus. Ele [Jesus] não costuma pagar mau a hospedagem se o recebemos bem”.

São Bernardo:

“Quando Jesus está presente corporalmente em nós, ao redor de nós, montam guarda de amor os anjos”.

S. Pio X:

“Se os anjos pudessem sentir inveja, nos invejariam porque podemos comungar”.

Santo Agostinho:

“Não somos nós que transformamos Jesus Cristo em nós, como fazemos com os outros alimentos que tomamos, mas é Jesus Cristo que nos transforma nele.”

Santa Teresinha:

“Não é para ficar numa âmbula de ouro, que Jesus desce cada dia do céu, mas para encontrar um outro céu, o da nossa alma, onde ele encontra as sua delícias”.

“Quando o demônio não pode entrar com o pecado no santuário de uma alma, quer pelo menos que ela fique vazia, sem dono e afastada da comunhão.”

Essa é nossa Fé Católica, a Fé de Sempre, que nos capacita a todo o vivenciar dos mistérios contidos na Igreja.

A ultima coisa a ser mencionada neste trecho meu caro é a respeito da aparente sede de conhecimento que impactou você e de sua busca individual por ela. Tomemos parte da história para relembrar-nos o mau que o uso e manipulação inoportunos e individuais das Sagradas Escrituras podem ocasionar, só é pegarmos o que aconteceu com Lutero (Pai do protestantismo e autor do Livre Exame da Bíblia) que depois de 1500 anos sendo resguardada pela Igreja Católica (A Bíblia) achou que a mesma não sabia de nada e decidiu espalhar a seu bel prazer as Sagradas Escrituras e a reinterpretá-la. Resultado, Lutero amargurado cinco anos depois de ter se desligado da Igreja Católica disse: “Há tantas seitas e crenças como cabeças, esta nega o batismo, aquele os sacramentos, aquele outro crê que há um terceiro mundo, entre este e o dia do julgamento final. Uns dizem que Cristo não é Deus; estes dizem uma coisa e aqueles dizem outra. Não há rústico, por mais rude que seja que não sonhe ou imagine de ser inspirado pelo Espírito Santo e não se tenha por profeta” (Grisar: Luther IV, 386-407). A leitura fundamentalista (ao pé da letra) feita por Lutero e depois “eternizada” por seus seguidores, desligadas da árvore docente da Igreja causaram um estrago enorme que é visível muito mais ainda nos dias de hoje, basta querer enxergar (sugerimos a você a seguinte leitura contida neste endereço a respeito desse perigo: http://www.paraclitus.com.br/2011/doutrina/biblia/leitura-fundamentalista-heresiarcas-e-a-sagrada-escritura/).

O múnus de interpretação foi dado única e exclusivamente à Igreja que é um dos mais importantes fundamentos de unidade de nossa Fé    , a isto nos ensina nossos Concílios em nossa Sagrada Tradição e Magistério:

Deus dispôs amorosamente que permanecesse integro e fosse transmitido a todas as gerações tudo quanto tinha revelado para salvação de todos os povos. Por isso, Cristo Senhor, em quem toda a revelação do Deus altíssimo se consuma (cfr. 2 Cor. 1,20; 3,16-4,6), mandou aos Apóstolos que pregassem a todos, como fonte de toda a verdade salutar e de toda a disciplina de costumes, o Evangelho prometido antes pelos profetas e por Ele cumprido e promulgado pessoalmente (1), comunicando-lhes assim os dons divinos. Isto foi realizado com fidelidade, tanto pelos Apóstolos que, na sua pregação oral, exemplos e instituições, transmitiram aquilo que tinham recebido dos lábios, trato e obras de Cristo, e o que tinham aprendido por inspiração do Espírito Santo, como por aqueles Apóstolos e varões apostólicos que, sob a inspiração do mesmo Espírito Santo, escreveram a mensagem da salvação (2).  Porém, para que o Evangelho fosse perenemente conservado integro e vivo na Igreja, os Apóstolos deixaram os Bispos como seus sucessores, «entregando lhes o seu próprio ofício de magistério». Portanto, esta sagrada Tradição e a Sagrada Escritura dos dois Testamentos são como um espelho no qual a Igreja peregrina na terra contempla a Deus, de quem tudo recebe, até ser conduzida a vê-lo face a face tal qual Ele é (cfr. 1 Jo. 3,2)”. (CONSTITUIÇÃO DOGMÁTICA DEI VERBUM , SOBRE A REVELAÇÃO DIVINA, §7)

E continua no parágrafo posterior a afirmar:

E assim, a pregação apostólica, que se exprime de modo especial nos livros inspirados, devia conservar-se, por uma sucessão contínua, até à consumação dos tempos. Por isso, os Apóstolos, transmitindo o que eles mesmos receberam, advertem os fiéis a que observem as tradições que tinham aprendido quer por palavras quer por escrito (cfr. 2 Tess. 2,15), e a que lutem pela fé recebida dama vez para sempre (cfr. Jud. 3)(4). Ora, o que foi transmitido pelos Apóstolos, abrange tudo quanto contribui para a vida santa do Povo de Deus e para o aumento da sua fé; e assim a Igreja, na sua doutrina, vida e culto, perpetua e transmite a todas as gerações tudo aquilo que ela é e tudo quanto acredita.  Esta tradição apostólica progride na Igreja sob a assistência do Espírito Santo (5).” (CONSTITUIÇÃO DOGMÁTICA DEI VERBUM , SOBRE A REVELAÇÃO DIVINA, §8)

Para maiores esclarecimentos a respeito sugerimos a seguinte leitura: http://www.paraclitus.com.br/2010/doutrina/a-interpretacao-da-biblia/.

Para finalizar esta questão o grande Santo Agostinho dizia: “Eu não acreditaria nem nos Evangelhos se não fosse a autoridade da Igreja”. Caso não se tenha em conta isso nós podemos inventar qualquer coisa e colocarmos e as condicionarmos à Sagrada Escritura.  Como você disse em um outro trecho do email “agora me dedico, solitariamente, a divulgar o Evangelho pelos meios que tenho acesso”, não caia neste erro!

Nenhum Protestante deveria citar a Escritura, porque ele não tem meios de saber quais são os livros inspirados; a menos que, é claro, queira aceitar a autoridade da Igreja Católica com relação à essa questão.” Frei William Most.

2. Ainda maior decepção ocorreu quando iniciei uma busca sobre a história da igreja. Passei para uma igreja evangélica, porém com cautela, visando não cair em novas decepções. Tudo parecia estar em conformidade com as escrituras, mas percebi interesses políticos, financeiros, e outras coisas mais.

Deus, através de Seu Filhos e Nosso Senhor Jesus Cristo fundou apenas uma Igreja e não deu permissão para que ninguém fundasse outra. A História da Igreja é belíssima e se você ainda não encontrou este sentimento verídico é porque tem ido pelos caminhos errados, os Santos Padres e doutores da Igreja sempre nos ensinaram a respeito:

Santo Ireneu (140-202), mártir, foi disciplino de São Policarpo (mártir de Esmirna), que foi discípulo do evangelista  São João:“Com efeito é à própria Igreja que foi confiado o dom de Deus. É nela que foi depositada a comunhão com Cristo, isto é, o Espírito Santo, penhor da incorruptibilidade, confirmação da nossa fé e medida da nossa ascensão para Deus. Pois lá onde está a Igreja, ali está também o Espírito de Deus; e lá onde está o Espírito de Deus, ali está a Igreja e toda a graça.
S. Clemente de Alexandria (†215), mártir:  “Que estupendo mistério! Há um único Pai do universo, um único Logos do universo e também um único Espírito Santo, idêntico em todo lugar; há também uma única virgem que se tornou mãe, e me agrada chamá-la de Igreja.”. (Paed.1,6)

São Cipriano (†258) – Bispo de Cartago:“A Esposa de Cristo não pode adulterar, é fiel e casta. Aquele que se separa dela saiba que se junta com uma adúltera, e que as promessas da Igreja já não o alcança. Aquele que abandona a Igreja não espere que Jesus Cristo o recompense, é um estranho, um proscrito, um inimigo. Não pode ter Deus por Pai no céu quem não tem a Igreja por mãe na terra”.

Para melhor entendimento sugerimos as seguintes leituras:

1. http://www.paraclitus.com.br/2011/magisterio/papado/
2.http://www.paraclitus.com.br/2010/doutrina/biblia/50-provas-do-primado-petrino-e-do-papado-tiradas-do-novo-testamento/
3. http://www.paraclitus.com.br/2010/magisterio/por-que-sou-catolico-3/
4. http://www.paraclitus.com.br/2010/magisterio/infabilidade-papal/
5. http://www.paraclitus.com.br/2010/magisterio/quem-e-a-pedra-jesus-ou-pedro/

3. Sei que a igreja católica prega coisas boas e faz obras boas. Fui aero navegante no interior da Amazônia e sou testemunha do trabalho incansável de missionários católicos no interior daquela região.

Concordamos plenamente com você neste trecho, e como você disse somos testemunhas oculares disso, e isso é ser Igreja!

Só a nível de um esclarecimento maior aqui vai mais algumas coisinhas:

A Igreja Católica é a instituição com o maior número de prêmios Nobel do mundo,ou seja,a Pontifícia Academia de Ciências conta com o maior número de membros laureados com prêmio Nobel sendo que foram majoritariamente escolhidos como membros da Academia bem antes de serem premiados,e quem pensa que essa academia é um clubinho onde padres se reúnem ta bem enganado,muitos dos cientistas membros, provenientes de todo o mundo, não são católicos (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pontif%C3%ADcia_Academia_das_Ci%C3%AAncias).

Mas você:

Sabia que a Igreja Católica é a Maior Instituição de Caridade do Mundo? Sabia que se a Igreja Católica saísse da África 60% das escolas e hospitais seriam fechados? Sabia que quando a epidemia de Aids estourou nos EUA e as autoridades não sabiam o que fazer eles chamaram as freiras da Igreja pra cuidar dos doentes porque ninguém mais queria fazê-lo? Que no Brasil até 1950 quando não existia nenhuma política de saúde pública eram as casas de caridade que cuidavam das pessoas que não tinham condições de pagar um hospital?

Links:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=jZeH9OQkFlY
http://temaspolemicosigreja.blogspot.com/2010/10/igreja-catolica-maior-instituicao-de.html
http://jornalpartilha.blogspot.com/2007/10/histria-das-ipsss-em-portugal.html
http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223380820T2vFD3xo1Yc47NV1.pdf
http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223380820T2vFD3xo1Yc47NV1.pdf

A Igreja Católica mantém na:

ÁSIA(1.076 hospitais,3.400 dispensários,330 leprosários,1.685 asilos,3.900 orfanatos,2.960 jardins de infância)
África(964 hospitais,5.000 dispensários,260 leprosários,650 asilos,800 orfanatos,2.000 jardins de infância)
América(1.900 hospitais,5.400 dispensários,50 leprosários,3.700 asilos,2.500 orfanatos,4.200 jardins de infância)
Oceania(170 hospitais,180 dispensários, 1 leprosario,360 asilos,60 orfanatos,90 jardins de infância)
Europa(1.230 hospitais, 2.450 dispensários,4 Leprosários,7.970 asilos, 2.370 jardins de infância)

O Conselho Pontifício –Cor Unum – ( organismo da Santa Sé encarregado de promover e organizar as instituições de caridade e assistência da Igreja) publicou num CD , um guia com 1.100 organismos da Igreja comprometidos com a ação social-caritativo, que ajudam, principalmente, em casos de catástrofes ou necessidades, sem distinção de religião.

4. “Apesar de tudo eu não consigo entender porque os líderes da igreja católica não retomam a Palavra de Deus e retira todas as heresias (e não são poucas) adquiridas ao longo do tempo. Sei que isso não é tarefa fácil e que “cabeças rolariam”; mas se no passado muitos sacrificaram suas próprias vidas por esta causa, já não está na hora de isso acontecer novamente?”

Caro José, a idéia de que a Igreja Católica adquiriu heresias é insustentável. Tanto é que ao longo da história, muitas foram combatidas pela Igreja, eis alguns exemplos: Os Judaizantes (Séc. I) , Gnosticismo (Sécs. I e II), Montanismo (final do Séc. II),  Sabelianismo (Princípio do Séc. III),  Arianismo (Séc. IV), Pelagianismo (Séc. V), Nestorianismo (Séc. V), Monofisismo (Séc. V), Iconoclastas (Sécs. VII e VIII), Catarismo (Séc. XI),Protestantismo (Séc. XVI),Jansenismo (Séc. XVII),Modernismo (Séc. XX), etc.  Outra, a Igreja depositaria da Palavra de Deus não pode equivocar-se e ensinar o erro, pois está escrito que: “é a Igreja de Deus vivo, COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE” (I Tm 3,15).

Uma vez enquanto Sta. Teresinha desembarcava em uma cidade os repórteres, pasmos por tantos escândalos dentro da Igreja, perguntaram para ela qual era o problema, e ela serenamente respondeu: “Eu e você”. Isso é ser Igreja, quem erra não é e jamais será a Igreja, e sim eu e você. As Sagradas Escrituras (como ficou explícito no início) sempre fora central na vida da Igreja, mas nem tudo está contido nela. Em relação a isso também colocaremos a sua disposição algumas leituras para seu melhor entendimento:

1. http://www.paraclitus.com.br/2011/magisterio/papado/a-igreja-e-dona-da-verdade/
2. http://www.paraclitus.com.br/2011/magisterio/papado/os-pecados-da-igreja/
3. http://www.paraclitus.com.br/2010/magisterio/a-igreja-e-imaculada-e-indefectivel/

5. “A retratação do Papa pelos ocorridos em períodos passados não tem validade se a igreja não cancelar todas as convenções feitas a partir dos primórdios e reiniciar nova caminhada, desta vez sobre a exclusiva luz da Bíblia.”

Não podemos confundir aqui José o que o Papa exorta com aquilo que é ou não seguido. O que o sucessor de Pedro anuncia como Pastor Universal da Igreja já é de fato autêntica mesmo que por alguns não seja seguida, como os Santos e Doutores nos ensinam:

“Prova-se que sendo S. Pedro o Vigário de Jesus Cristo e o Pontífice romano sucessor de S. Pedro, este último é o herdeiro do seu poder. Está escrito no Cânone do concílio de Calcedónia:; “Se algum bispo está acusado de infâmia, que ele tenha a liberdade de apelar ao bem-aventurado da antiga Igreja de Roma. Porque temos Pedro, nosso pai, por refúgio, e só a ele pertence o direito, no lugar de Deus, de conhecer a criminalidade de um bispo acusado, pelo poder das chaves que Deus lhe deu”. E mais adiante: “Que tudo o que ele decide seja aceite como do vigário do trono apostólico”. S. Cirilo, patriarca de Jerusalém, disse falando na pessoa de Cristo: “Tu por um tempo e eu eternamente, eu estarei com todos os que colocarei no teu lugar, pela autoridade e os sacramentos, como estou contigo”. S. Cirilo diz, no seu livro Thesaurorum, que “os Apóstolos afirmaram, no Evangelho, e nas suas Epístolas, que para a doutrina, Pedro e a sua Igreja tinham o lugar de Deus, dando-lhe a primazia em todas as reuniões e todas as assembleias, em todas as eleições e em todas as decisões”, e mais adiante: “Todos inclinam a cabeça diante dele (Pedro), de direito divino, e todos os primazes do mundo obedecem-lhe como ao Senhor Jesus”. S. João Crisóstomo diz, falando na pessoa do Filho: “Apascenta as minhas ovelhas’, quer dizer, está à cabeça dos teus irmãos, em meu lugar.” (Santo Tomás de Aquino – Contra errores Graecorum, parte 2, c. 32, 33 e 35)

A este seguimento de Unidade a mais de 20 séculos nos mantemos em total fidelidade ao Evangelho pregado por Cristo e repassado aos apóstolos, não precisamos de uma nova caminhada, o Caminho continua a ser o mesmo de sempre, Nosso Senhor Jesus Cristo e Sua Imaculada Igreja Santa e Católica:

Levemos em conta que a própria tradição, ensinamento e fé da Igreja Católica, desde o princípio, dadas pelo Senhor, foi pregada pelos Apóstolos e foi preservada pelos Pais. Nisto foi fundada a Igreja; e se alguém se afasta dela, não é e nem deve mais ser chamado Cristão.” Santo Atanásio, Carta a Serapião de Thmuis, 359 D.C..

A Igreja é Santa, a Única Igreja, a Verdadeira Igreja, a Igreja Católica, lutando sempre contra todas as heresias. Ela pode lutar, mas não pode ser derrotada. Todas as heresias são expulsas por Ela, como os galhos pendentes são arrancados de uma vinha. Ela permanece presa à sua raiz, em Sua vinha, em Seu amor. As portas do inferno não prevalecerão contra ela“. Santo Agostinho de Hipona, Sermão aos Catecúmenos sobre o Credo, 6,14, 395 D.C.

A isso somos chamados meu caro amigo, a esta bela unidade do corpo místico de Cristo que é sua Igreja, lembremos também que não foi a Bíblia que construiu a Igreja e sim o contrário, juntamente com nossa Tradição e Magistério as Sagradas Escrituras são fontes fundamentais de nossa Fé e de nossa história bimilenar, sugerimos a você que retorne e dê uma chance verdadeira à Igreja de Deus para juntamente descobrirmos seus belos e Eternos Mistérios Divinos.

Ivanildo Oliveira Maciel Junior / Mendes Silva
Apostolado Spiritus Paraclitus

Check Also

Porque quando ouvimos relatos de aparições ou comunicação de santos ou pessoas que foram católicas, e quando acontece a mesma coisa com o espirita por exemplo é o demonio.

Enviado por D. E. B. Religião: catolico Estado: PR – Paraná Corpo da mensagem: Boa …