5 conselhos de São Francisco de Sales para alcançar a serenidade e paz interior

139

sao-francisco-de-sales  São Francisco de Sales nasceu em 1567, no castelo de Thorens, na Savóia, como primogênito de uma família de alta nobreza. Desde sua ordenação entregou-se às tarefas pastorais que podia realizar – pregar, celebrar a Santa Missa e principalmente confessar e confessar. Durante sua vida ensinou um espiritualidade positiva, baseada no abandono em Deus. Esta era sua doutrina central, a rocha na qual o santo apoiava a sua própria vida interior. 

  Um dos marcos em sua vida espiritual foi quando tomado por grande tentação em relação a sua própria salvação, livra-se dela num dia em que, ajoelhando diante de uma imagem de Nossa Senhora, fizera a única coisa possível a quem se encontra nessa situação: um ato heróico de abandono e de esperança em Deus. Declarou ao Senhor que estava disposto a amá-lo durante esta vida mesmo que o seu destino fosse a condenação eterna, e abandonou todas as suas dúvidas acerca da sua salvação na Misericórdia divina. 

Hoje compartilhamos cinco frases a respeito de serenidade e paz escrita pelo santo.

  1. Sem pressa nos afazeres cotidianos 

   “Para que apressar-te tanto nas coisas que fazes? Trabalha sem pressa alguma e, com tranquilidade, faz um coisa depois da outra. Verás como avança muito.”

2. Inquietação faz mal a vida interior

  “Á exceção do pecado, o maior mal que pode sobrevir a um homem é a inquietação”

3. Não se precipitar de forma demasiada

   “Se queres levar a bom termo os teus negócios, trabalha de um modo repousado e com maturidade de juízo. Com a precipitação, ou se terminam mal os assuntos, ou se enredam de tal maneira que nunca se terminam”

4. Não se afligir desesperadamente 

   “Bem, dir-me-á alguém, “mas como posso não me afligir e entristecer-me, se vejo que é por minha culpa que não avanço no caminho da virtude?” Já o disse na Introdução à vida devota e agora volto a dizê-lo de bom grado: é preciso entristecer-se com um arrependimento que seja forte e sereno, constante e tranquilo, mas nunca agitado, nem inquieto, nem desalentado.”

5. É preciso fugir do mal com serenidade

   “É preciso fugir do mal? Pois fujamos, mas calmamente, sem perder o sossego; porque, se assim não for, pode acontecer que, fugindo, acabemos por cair e por dar ocasião ao inimigo de tirar-nos a vida…A própria penitência tem que ser cultivada com paz. Eis que a minha amaríssima amargura está em paz, diz Isaías(38,17)”

Conservemos a paz e serenidade ainda que diante das tribulações pois Jesus Cristo está conosco.

     “Humilhai-vos sob a poderosa mão de Deus, para que na ocasião própria vos exalte; lançai nele toda a vossa preocupação, porque é ele que cuida de vós. Sede sóbrios e vigilantes! Eis que vosso adversário, o diabo, vos rodeia como leão a rugir, procurando a quem devorar. Resisti-lhe, firmes na fé, sabendo que a mesma espécie de sofrimento atinge os vossos irmãos espalhados pelo mundo. Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, aquele que vos chamou para sua glória eterna em Cristo, vos restaurará, vos firmará, vos fortalecerá e vos tornará inabaláveis. A Ele seja todo o poder pelos séculos dos séculos! Amém.” 1 Pd 5;