O Diabo Responde a São Domingos: Quem é a Pessoa que os Demônios Mais Temem?

100

Com São Domingos pregando o Santo Rosário próximo de Carcassone, conduziram até ele um herege albigense possuído pelo demônio. O santo o exorcizou diante de uma grande multidão; conta-se que havia mais de doze mil homens ouvindo-o. Os demônios, que possuíam esse pobre miserável, sendo obrigados a responder às perguntas que o santo lhes fazia, disseram: 1º que eles eram quinze mil no corpo desse miserável, porque ele tinha atacado os quinze mistérios do Rosário; 2º que, pelo Rosário que ele [São Domingos] pregava, ele aterrorizou e assustou todo o inferno e que ele era o homem do mundo que eles mais odiavam por causa das almas que ele lhes retirara pela devoção ao Rosário; 3º eles revelaram várias outras particularidades. São Domingos, tendo colocado seu rosário no pescoço do possesso, perguntou-lhes, por todos os santos do céu, quem eles mais temiam e quem deveria ser mais amado e honrado pelos homens.

A essa pergunta, eles soltaram gritos tão assustadores que a maioria dos presentes, tomados de pavor, se jogaram no chão. Em seguida, esses espíritos malignos, para não responderem, choraram e se queixaram de um modo tão implacável, tão surpreendente, que vários dos próprios assistentes choraram por um dó natural. Eles falaram, pela boca do possesso, com um tom de voz lamentável: “Domingos, Domingos, tem piedade de nós. Prometemos que nunca te machucaremos. Tu que tens tanta piedade dos pecadores e miseráveis, tem piedade de nós, miseráveis. Infelizmente, estamos sofrendo. Por que te comprazes em aumentar nossos castigos? Contenta-te com as dores que sofremos. Misericórdia! Misericórdia! Misericórdia!

O santo, sem se comover com as palavras ternas desses espíritos infelizes, respondeu-lhes que ele não deixaria de atormentá-los até que eles tivessem respondido a pergunta. Os demônios lhe disseram que responderiam, mas em segredo e ao pé do ouvido, e não na frente de todo mundo.  O santo incitou e mandou falar e responder tudo em voz alta. Os diabos não quiseram dizer uma única palavra, independente das ordens que ele lhes dava.

Ele se colocou de joelhos e fez essa oração a Nossa Senhora: “Ó Santíssima Virgem Maria, pela virtude do Santo Rosário, ordena a esses inimigos do gênero humano que respondam a minha pergunta”.

Essa oração sendo feita, eis que uma chama ardente saiu dos ouvidos, do nariz e da boca do possesso, o que fez todo mundo tremer, mas sem fazer, no entanto, mal a ninguém. Então os diabos gritaram: “Domingos, imploramos-te, pela paixão de Jesus Cristo e pelos méritos de sua Santa Mãe e de todos os santos, que permitas que saiamos desse corpo sem dizer nada; pois os anjos, quando quiseres, to revelarão. Não somos mentirosos? Por que queres acreditar em nós? Não nos atormentes mais, tem piedade de nós”.

Ai de vós, indignos de serdes atendidos”, disse São Domingos, que, se colocando de joelhos, fez sua oração a Nossa Senhora (…). Mal terminara sua oração, quando ele viu Nossa Senhora perto dele, cercada de uma multidão de anjos, que, segurando uma vara de ouro na mão, batia no endemoniado, dizendo: “Responde ao meu servo Domingos de acordo com a pergunta dele”. Devemos notar que o povo não via e nem ouvia Nossa Senhora, somente São Domingos.

Então os demônios começaram a gritar, dizendo: (…) “Ó nossa inimiga, ó nossa ruína, ó nossa confusão, por que viestes do Céu para nos atormentar tão fortemente? É necessário que, contra a nossa vontade, ó advogada que retiras os pecadores do inferno, ó caminho seguro do Paraíso, sejamos obrigados a dizer toda a verdade? É necessário que confessemos na frente de todo mundo o que será a causa da nossa confusão e da nossa ruína? Ai de nós, ai de nossos príncipes das trevas. Ouçam, então, cristãos. Esta Mãe de Jesus Cristo é toda poderosa para impedir que seus servos caiam no inferno. É ela quem, como um sol, revela nossas aparências, que rompe as nossas armadilhas e torna todas as nossas tentações inúteis e sem efeito. Somos obrigados a confessar que nenhum daqueles que perseveram em seu serviço foi condenado conosco. Um único de seus suspiros, que ela oferece à Santíssima Trindade, ultrapassa todas as orações, os votos e os desejos de todos os santos. Nós a tememos mais do que todos os bem-aventurados juntos e não podemos fazer nada contra os seus servos fieis. Até mesmo muitos cristãos que a invocam na hora da morte e que deveriam, segundo as nossas leis comuns, ser condenados, são salvos por sua intercessão. Ah, se essa Marieta (é assim que a raiva deles os fazia chamá-la) não se opusesse aos nossos desígnios e esforços, há muito teríamos subvertido a Igreja e derrubado todas as suas ordens no erro e na infidelidade. Protestamos ainda, pela violência que nos fazem, que nenhum daqueles que perseveraram em rezar o Rosário foi condenado; pois ela obtém aos seus servos devotos uma verdadeira contrição de seus pecados, pela qual eles obtém o perdão e a indulgência”.

Então São Domingos mandou todo o povo recitar o Rosário, bem devagar e devotamente, e a cada Ave Maria que o santo e o povo recitavam (coisa espantosa), saía do corpo desse infeliz uma grande multidão de demônios em forma de brasas. Tendo todos os demônios se retirado, o herege ficou completamente livre. E Nossa Senhora deu, ainda que de forma invisível, sua bênção a todo o povo, que sentiu uma alegria muito sensível. Esse milagre foi a causa da conversão de um grande número de hereges, que se filiaram à confraria do santo Rosário.

***

Texto adaptado do livro “O Segredo Admirável do Santíssimo Rosário”, de São Luís Maria Grignion de Monfort (Editora Ecclesiae).